5 teorias do Por que os participantes do BBB parecem estar no cio o tempo todo!

5 teorias do Por que os participantes do BBB parecem estar no cio o tempo todo!

Logo no primeiro dia de BBB –vá lá, que seja na primeira festa do programa– pessoas que nunca se viram já se apaixonam, se agarram, pulam no colo umas das outras, se amassam e fazem promessas sob o

Leia tudo

Logo no primeiro dia de BBB –vá lá, que seja na primeira festa do programa– pessoas que nunca se viram já se apaixonam, se agarram, pulam no colo umas das outras, se amassam e fazem promessas sob o edredom.

Esse cio típico de reality show costuma tomar conta até mesmo dos hormônios de brothers e sisters comprometidos, gente que parece não hesitar em colocar em risco uma relação duradoura em troca de alguns momentos de diversão. Por que isso acontece? Listamos cinco possibilidades:

Adrenalina
A adrenalina típica de fatores do próprio programa (confinamento, momentos de tensão e disputa, convivência estreita com gente diferente, noites mal dormidas, restrições alimentares) mexe com as as pessoas e faz com que fiquem com mais tesão.

E de forma extremamente rápida para os telespectadores –é válido lembrar que o tempo, dentro da casa do BBB, é relativo.

“Claro que não podemos deixar de pensar que os participantes podem ser orientados a agirem de tal maneira. Todas as pessoas sentem tesão, mas a grande maioria os reprime em prol da convivência social. Ao assistir ao BBB, o público gosta de projetar aquilo que quer fazer ou ser. Por isso, o programa costuma focar mais neste comportamento”, diz o psicólogo Yuri Busin, diretor do CASME (Centro de Atenção à Saúde Mental Equilíbrio), de São Paulo (SP).

Tédio
O tédio imposto pelo programa faz com que as pessoas se aproximem e queiram ficar juntas para combatê-lo. Não há TV, internet, é impossível sair (a não ser via desistência do jogo), os dias parecem se arrastar. “É um cárcere privado chique regado a festas, brincadeiras na piscina e bebidas. A proximidade é inevitável.

No completo ócio, sem nada para fazer, os participantes jovens, interessantes e com pouca roupa querem descarregar a tensão. E a única forma de buscar prazer tende a ser pela sexualidade.

O BBB é montado para estimular o conflito e o tesão nas pessoas”, fala Mônica Bayeh, psicóloga clínica e psicoterapeuta, do Rio de Janeiro (RJ). Somos movidos pela busca do prazer e o tédio é o botão detonador para acelerar essa procura.

Carência
A carência do confinamento mexe com o equilíbrio psicológico e faz com que pessoas que nunca se viram antes se unam e se gostem (ou se odeiem). A exclusão do mundo e a distância dos amigos, da família e dos eventuais parceiros é combinação perfeita para que as emoções se exaltem, fazendo as coisas andarem muito mais rapidamente e intensamente.

Vida de casal fora da casa
Não dá para saber o acordo que os participantes fizeram com seus pares antes de ingressarem no programa. E se o casal combinou que não há nada de errado se o confinado pular a cerca se isso servir de manobra para conquistar o prêmio de R$ 1,5 milhão de reais? O que consiste ou não uma traição é um conceito individual.

Há quem não ligue se o par transar com outra pessoa, desde que não exista envolvimento emocional. E existe quem se incomode ao ver o namorado ou a noiva dançando de modo muito colado com alguém.

Para Monica Bayeh, outro fator a considerar é que quem entra no BBB ou se relaciona com algum participante já sabe muito bem o que esperar, ainda mais depois de tanto tempo de programa.

“A maioria dos relacionamentos antigos dança rapidamente. Por quê? Porque já não vinha lá muito bem. Muitas vezes as pessoas empurram uma relação com a barriga com receio de se arrepender depois. O BBB permite liberar o que antes se entendia como proibido”, fala.

Atenção
Formar um par é garantia certa de chamar a atenção do público. “Ter um relacionamento dentro do programa pode fazer com que um participante se torne mais forte que os outros, então alguns casais podem topar liberar esse tipo de acordo. Isso não quer dizer, porém, que quem está aqui fora não irá sofrer ao ver seu amado ficando com outra pessoa”, afirma Yuri.

“Casais costumam ir mais longe no jogo e, além disso, protegem um ao outro na hora do voto e nas regalias”, completa Monica. É claro que às vezes o efeito é o oposto ao esperado e os telespectadores acabam rechaçando certos casais.

A rejeição é maior quando o homem é comprometido; à mulher cabe a culpa e o desprezo por ter “seduzido” o pobre coitado. O fato é que a atração da Rede Globo tem uma narrativa semelhante à das novelas da emissora e as pessoas gostam de comentar a vida de um casal, nem que seja para criticar.