DEPOIS DO EXPEDIENTE

DEPOIS DO EXPEDIENTE

Sexta-feira, todo mundo se preparando pra ir embora, curtir sua vida, seu final de semana. Estacionei o carro na frente da empresa dele e fiquei pensando… Ofegante,peguei o celular e procurei seu

Leia tudo

Sexta-feira, todo mundo se preparando pra ir embora, curtir sua vida, seu final de semana. Estacionei o carro na frente da empresa dele e fiquei pensando… Ofegante,peguei o celular e procurei seu número. Por um momento hesitei, não era certo isso.

Mas aquele convite tinha um gosto delicioso de loucura e pecado. Tinha conversado momentos atrás com ele pelo Facebook. Eu só queria falar sobre trabalho e aquilo tomou outra proporção. Digamos que uma proporção mais gostosa…

Suas mensagens me excitaram a agora estava ali louca para ser daquele homem. Ele mexeu com minha imaginação. Liguei e ele foi me buscar no carro. Enquanto chamou o elevador passei os olhos no seu corpo…

Fiz como os homens fazem: analisam o material dos pés à cabeça! Já tinha o visto outras vezes, mas só agora percebi o quanto era delicioso. No elevador não conseguia encará-lo. Minha face estava vermelha, minhas mão trêmulas, não sabia o que fazer…

Ao chegar ao escritório, antes que pudesse soltar meu ar, ele já tinha me agarrado pela cintura me colocando de costas para ele. Não houve tempo pra minha tensão se desfazer. Desceu a mão pelo meu ventre. Senti sua exc*tação E ele suspirar no meu ouvido… Virei-me imediatamente e ajoelhei na sua frente.

Queria prová-lo, sentir o sabor dele. Ele não deixou. Disse que o combinado seria ele me ch*par todinha; era seu desejo, sua tara. Realmente era por isso que estava lá. Ela havia me provocado, me exc*tado e eu queria conferir todo o seu talento.

Colocou-me sentada na bancada. Tirou a minha calça, depois a minha calcinha. Abriu as minhas pernas e ficou olhando fixamente para meu s*xo. Não consegui deixar de soltar um gem*do… Era a forma que ele olhava que me deixava mais exposta ainda, aquele jeito de quem parece com fome, com desejo… Ahhhhh e me tocou com os dedos suavemente.

Aproximou-se de mim e encostou sua boca suavemente, fazendo movimentos lentos, intensos e deliciosos. Aumentou a velocidade daquela lingua quente. Enquanto me ch*pava com vontade, seus dedos me penetravam com força e agilidade, devorando-me sem dó com a boca e os dedos.

Meu corpo estava em êxtase. Não queria parar! Seus dedos e sua língua estavam me torturando. Fechei os olhos, ouvi ele abrir a calça e pude sentir ele deslizar pra dentro de mim, a princípio lento, desde o início até o final… Bem devagarinho entrando e saindo, fazendo eu perceber toda a extensão do seu membro.

Estava delirando de pr*zer e naquela hora não pensei que pudesse ser ouvida. Gem*a alto, estava quase em transe quando ele parou. Riu maliciosamente para mim. Eu estava completamente entregue aquele homem.

Queria beijá-lo por inteiro… Queria implorar para que continuasse… Ele me ajudou a descer da bancada percebi seu volume, maravilhosamente enrijecido, ainda lambuzado com meu mel. Minhas pernas já não tinham forças. Eu me abaixei na sua frente, peguei naquele mastro enorme e encostei os meus lábios nele. Senti meu gosto misturado ao dele. Queria implorar para que ele me pen*trasse novamente…

Deixei isso transparecer nos olhos. Com agilidade me colocou de costas apoiada no balcão, segurou firme meu cabelo e outra mão apertou meu quadril. Nesse momento, me pen*trou com força. Gritei ao sentir seu mastro enorme…

Novamente ele parou… Quis chorar de frustação porque queria mais. Precisava de mais! Mas ele não queria que aquilo acabasse. O t*são era muito intenso. Ele queria me ver se contorcer de pr*zer ou quem sabe me castigar um pouquinho… me deitou de bruços no chão gelado do escritório e com as mãos deliciosamente separou meu bumbum deixando espaço livre para que sua língua percorresse o caminho até meu pr*zer molhado.

Contorcia-me, implorava para que me penetrasse e ele p*netrou com os dedos. Por um momento tive a impressão de que sua mão inteira estava dentro de mim. Enquanto outro dedo safado me pen*trava por trás, num misto de dor e pr*zer. Nunca ninguém tinha me possuído daquela forma. Tão saf*do, tão promiscuo e perigosamente cafajeste! Eu ali no chão estava quase embaixo da mesa empurrada pela pressão das suas mãos enquanto me preenchia duplamente.

G*zei naquelas mãos que ele pôs em minha boca depois para provar o sabor adocicado do meu g*zo… Ele queria uma mistura dos nossos sabores. Aproximou seu p… delicioso perto da na minha boca e pediu para que eu não deixasse uma gotinha cair… Para minha surpresa, no primeiro movimento ele soltou um gemido de prazer…

Foi quando senti seu liquido preencher minha boca, olhei para ele e engoli tudo! Lambi os dedos e os lábios… Que delicia! Definitivamente ele era muito delicioso…

Enquanto me recuperava, estremeci quando ele disse que retribuiria a visita no próximo dia, depois do expediente no meu escritório. E aquela boca nunca mais saiu dos meus pensamentos.

Posts Relacionados