Dilmar se reúne com Taques e avalia deixar liderança do Governo

Dilmar se reúne com Taques e avalia deixar liderança do Governo

Deputado diz que precisa focar na reeleição e viajar mais ao interior, onde fica sua base eleitoral

Leia tudo

O deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM) deve ter uma conversa com o governador Pedro Taques (PSDB), até a próxima semana, para analisar a possibilidade de deixar a função de líder do Governo na Assembleia Legislativa.

O parlamentar quer que o tucano avalie sua permanecia, pois, segundo ele, também quer se dedicar ao seu projeto de reeleição. Para tanto, disse que precisará viajar com mais frequência para o interior, já que sua base eleitoral fica em Sinop (500 km da Capital).

“Vou pedir para que o governador avalie se, estando líder, não vou atrapalhá-lo, porque eu também tenho que cuidar da minha reeleição. Tem que saber se isso dá para conciliar ou não. Quero que ele analise, porque não quero prejudicar o andamento das prioridades do Governo”, afirmou ao MidiaNews.

“Eu praticamente fiquei, como deputado, presidente de partido e líder do Governo, durante toda semana dentro de Cuiabá. Sendo pacificador de problemas, articulador, a pessoa que tem conversado com todos. E, neste novo período, além de estar na Assembleia, vou ter que viajar mais, visitando o interior. Quase 98% dos meus votos são no interior”, disse.
Todos esses momentos de dificuldades eu estive do lado. Agora, a partir de abril vou ter que me dedicar e pensar na minha reeleição
Para o deputado, caso haja a troca, um bom nome seria alguém que tenha base eleitoral em Cuiabá e Várzea Grande. E sugeriu o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que está licenciado por ter assumido a Secretaria Estadual de Cidades. O tucano, entretanto, também deve disputar a reeleição e volta ao Legislativo em abril.

“Estive líder no momento mais difícil, mais turbulento, de maior dificuldade, quando em meados de 2016 começou essa grande crise no País e também em Mato Grosso. Passamos por várias turbulências, como a RGA, a questão da PEC do Teto, a questão de contas. E eu estive como líder. Passei nos momentos de maiores dificuldades”, afirmou Dilmar.

“Acredito que agora ele consiga dar uma estabilizada financeiramente. Até porque agora tem o ajuste fiscal, que está regulamentado. Então, todos esses momentos de dificuldades, eu estive do lado dele. Agora, a partir de abril vou ter que me dedicar e pensar na minha reeleição”, completou.

Dilmar assumiu a função de líder do Governo em agosto de 2016, quando Wilson Santos foi escolhido pelo grupo de Taques para disputar a Prefeitura de Cuiabá nas eleições municipais daquele ano. O tucano perdeu para o também deputado Emanuel Pinheiro (PMDB).