Você faz exercícios, mas seu corpo continua do mesmo jeito… Por quê?

Você faz exercícios, mas seu corpo continua do mesmo jeito… Por quê?

Alexandra Bellino é formada em educação física e pós-graduada em nutrição.

Leia tudo

Essa pergunta é uma das que recebemos com mais frequência. Clientes na academia reclamam: “Alexandra, eu faço um monte de exercícios, mas se você olhar meu corpo você não diz que eu malho!” Há inúmeros problemas, hipóteses que podem explicar esse “efeito”, vamos dar uma olhadinha nelas aqui.

1. Falta de consistência

O primeiro problema é a mera falta de consistência com os exercícios. Muitas pessoas começam e param com os exercícios continuamente. O corpo não gosta disso! Você não vai ver um abdômen sarado depois de 6 meses se você só trabalha esse grupo de músculos 1 vez a cada 15 dias. É preciso começar e não parar com um regime sólido de exercícios que visem trabalhar exatamente as áreas almejadas.

2. Senso de tempo desproporcional

Quando pessoas sedentárias começam a malhar elas ficam ansiosas para ver resultados. Sendo assim, a percepção de que elas já fizeram muito e então já deveriam estar vendo resultados é exagerada!

Muitos clientes meus chegam no ponto de desmotivação lá pela terceira ou quarta semana. Eles dizem: “mas veja só, eu já estou malhando há um “tempão” e ainda não vejo resultado nenhum!” Humm, defina “tempão”! 1 mês não é nada, 2 também não! Para começar a ver resultados “visíveis” além dos ponteiros da balança que podem estar mostrando alguma perda de peso, é preciso um bom tempo. Eu sempre recomendo aos meus clientes e leitores que mantenham um registro, seja em um caderno, no smartphone, numa planilha no computador, onde for, mas que registrem absolutamente tudo o que fazem em termos de alimentação e exercícios com datas bem marcadas para que não caiam na armadilha da percepção desproporcional do tempo.

3. Expectativas exageradas

Outro hábito de pessoas sedentárias que “decidem” começar a malhar! Elas criam expectativas de que vão se esforçar bastante e logo logo vão estar vendo um abdômen incrível, braços definidos e pernas fortes! Quando o corpo continua a mostrar as gordurinhas extras e a flacidez, elas ficam desanimadas, achando que alguma coisa está indo errado. Geralmente não há nada de errado, conquanto elas estejam trabalhando com consistência e fazendo os exercícios certos. A única coisa que está errada é a expectativa exagerada, uma esperança de conseguir resultados muito bons, muito rápido.

4. Exercícios errados

Não adianta andar 1 hora na esteira todo dia e no final de 6 meses ficar confuso porque seu corpo não parece uma capa de revista! Cada tipo de exercício visa trabalhar um determinado aspecto da saúde e do corpo. Exercícios cardio-vasculares como esteira, elíptico e bicicleta são excelentes e não devem ser dispensados, mas não vão lhe dar um corpo sarado! Para isso você precisa trabalhar especificamente os músculos que você deseja “mostrar”. Quer braços definidos? Então precisa fazer vários tipos de exercícios de braço que trabalhem os inúmeros músculos dessa região. Isso também significa que fazer só um tipo de exercício como flexão de braço e abdominal não vai resultar em uma aparência perfeita. Cada parte do corpo que você quer ver “sarada” precisa de uma combinação de exercícios que pegue todos os músculos da região.

Além disso, o visual do “corpo perfeito” que as pessoas querem ver no espelho depende da queima de gordura, não só dos músculos trabalhados, principalmente na região abdominal. Se você tem muita gordura nessa área, não adianta fazer 1000 abdominais por dia sem fazer qualquer outra atividade que vá queimar a gordura que está escondendo a musculatura.

5. Falta de informação

Um dos principais problemas que vejo é que as pessoas querem emagrecer, querem um corpo perfeito, mas não sabem o que fazer ou se apegam ao que “ouviram falar”. Hoje em dia, “não saber o que fazer” é inadmissível! Nós somos inundados por informação por todos os lados. Uma pesquisinha de meia hora no Google já soluciona muitas dúvidas e responde muitos “comos” sobre dieta e exerícios. Mas ao invés de procurar, pesquisar, organizar as informações obtidas, as pessoas não se dão o trabalho. Saem perguntando para quem elas “acham” que sabe mais sobre o assunto e simplesmente aceitam as respostas como verdade absoluta.

O que nós recebemos de pedidos de dietas e cardápios por e-mail não é brincadeira! E as pessoas que pedem esperam cardápios customizados para suas preferências especiais e de graça ainda por cima! Pode?! Além de não correr atrás de informação que está plenamento disponível, ainda acham que profissionais de saúde e nutrição devem trabalhar de graça!

Se o que lhe falta é informção, corra atrás! O Google é seu melhor amigo! Pesquise, compare informações, faça anotações. Monte seu próprio cardápio (ou contrate um nutricionista), faça sua própria planilha com suas séries de exercícios. Sim, tem bastante besteira na web, mas também tem muita coisa boa. Tem muito profissional super competente compartilhando experiência e ensinamentos de graça por toda a rede.

6. Técnica errada

E por fim, temos um dos piores problemas que nós personal trainers vemos bastante em academias: pessoas fazendo exercícios ineficientes ou da forma errada e esperando resultados fantásticos! Como exatamente você deve fazer cada exercício e quais são os movimentos que simplesmente não dão resultado algum é o tipo de coisa também que você pode aprender na internet. O YouTube está abarrotado de vídeos de profissionais e entusiastas de fitness ensinando como fazer cada exercício e comentando sobre seus benefícios ou eventual ineficácia.

Posts Relacionados