YouTube vai remover anúncios e diminuir visibilidade de canais com vídeos ofensivos

YouTube vai remover anúncios e diminuir visibilidade de canais com vídeos ofensivos

O YouTube tem reforçado algumas regras depois que Logan Paul, com mais de 15 milhões de inscritos, publicou um vídeo polêmico sobre a “floresta dos suicídios” do Japão. O serviço de vídeos, que fo

Leia tudo

O YouTube tem reforçado algumas regras depois que Logan Paul, com mais de 15 milhões de inscritos, publicou um vídeo polêmico
sobre a “floresta dos suicídios” do Japão. O serviço de vídeos, que foi
criticado por demorar para tomar uma atitude contra o youtuber, terá 10 mil moderadores humanos para analisar conteúdo; e investirá US$ 5 milhões para promover bons canais.

Agora, o Google explicou
como os criadores de conteúdo que prejudicam a comunidade serão
punidos. A empresa deixa claro que não é permitido “violar
repetidamente, gravemente ou de forma flagrante as diretrizes da
comunidade”, bem como monetizar vídeos que violam as diretrizes de
conteúdo adequado para publicidade, o que inclui incitação ao ódio, linguagem imprópria, violência e comportamento perigoso.

Se houver violação das diretrizes da comunidade, o Google poderá aplicar as seguintes sanções, dependendo da gravidade do caso:

  • banir o criador de conteúdo do Google Preferred (que inclui os 5% dos canais mais vistos, seguidos e compartilhados do YouTube); e banir ou suspender o youtuber das produções do YouTube Red Originals;
  • impedir que os vídeos do canal ganhem dinheiro com publicidade;
  • remover
    os vídeos do canal das recomendações do YouTube na página inicial, no
    “Em alta” ou nas sugestões do que assistir em seguida.

Em comunicado,
o Google admite que pode ter sido lento para responder às críticas no
passado e que “acredita fortemente na liberdade de expressão”, mas tem a
“responsabilidade de proteger toda a comunidade de criadores,
espectadores e anunciantes dessas situações raras, mas muitas vezes
prejudiciais”.